segunda-feira, 2 de março de 2009

A VERDADEIRA HISTÓRIA DE CHRISTINE COLLINS



Para quem quiser saber como tudo se passou fica aqui o link dum artigo que encontrei que resume a história desta heroína "acidental".

13 comentários:

MARISE disse...

Adorei esse filme, assisti ontem e me emocionei, que mulher, que atitude linda, no meio de tanto sofrimento ela conseguiu mudar a história uma cidade.

Pastor Afonso disse...

Terminamos de assistir o filme/documentário sobre o caso de Christine Collins. Meu medo é que o nosso sistema policial e judiciário atue da mesma forma que o daquela época.

Anónimo disse...

É lamentável observar os crimes que cometem aqueles,com quem reside o poder.
O mais impressionante são os argumentos sem cabimento que são usados para garantirem a "lei e a ordem".Fica claro onde realmente reside o piores delitos,tudo em nome da "boa conduta".
Pior de tudo, é saber que todas essas atrocidades ainda não tiveram fim, e a tendência é piorar,haverá um tempo onde novamente essa mesma "lei" dará ordens a respeito de alguns cristão que não acreditam nas leis humanas...meu medo maior é saber que as mentiras são contadas a fim de enganar a grande massa, que tem o poder maior,mas é facilmente lograda por não se preocupar com os princípios da verdade.
A grande massa até responde positivamente, mas só depois de alguns "mártires" terem dado seu próprio sangue.Parabéns para aqueles que conseguem com esforço unico e pessoal mudar a história da humanidade para sorte dos fracos.

Nágila disse...

Vi o filme hoje e adorei *---* é incrível ver como uma mulher por amor á um filho pode mover montanhas, nesse caso mudar a história da polícia de Los Angeles e também o destino de todas as pessoas de bem que eram maltradas física ou psicológicamente por políciais em 1928. Nota 10 para a Christiane Coolins e para a Jolie que a representou em grande estilo ;)

Salomão disse...

Não foi uma "mulher" que mudou a história de nada. Ela apenas rejeitou o menino 'falso'. Se dependesse só dela, só da sua rejeição, nada mudaria. Ela seria tida como louca, até morrer.

O amor não fez nada.

Anónimo disse...

Amei esse filme...Assistir ontem e procurei saber a história..Muito emocionante..Angelina jolie está muito linda e fez uma bela atuação...Amei, recomendo esse filme para todos.....

Anónimo disse...

é retardado. e se ela não tivesse negado o menino ein ? se ela não tivesse lutado com todas as suas forças, nada disso teria acontecido. ia continuar a mesma coisa. e o que você acha que fez com que ela tivesse força? o amor dessa mulher por seu filho mudou a história sim. como você é homem , nunca vai saber o que é o amor de uma mãe; a história é ótima , o filme é ótimo .. é tudo muuuuuito bom ;) gostei demais ein ;*

Patrícia disse...

Salomão, o amor fez tudo, fez realmente a diferença, ela podia muito bem ter se calado por medo, e aceitado o que lhe foi imposto, mas, o amor materno falou mais alto e ela foi um exemplo de mãe, mulher e cidadã.
O filme é lindo e Angelina Jolie estã perfeita no papel.

Anónimo disse...

Lindo filme, quanta determinação.
Uma mulher de fibra. Demonstrou o verdadeiro sentido da palavra mãe.

Anónimo disse...

EU E MEU ESPOSO GOSTAMOS MUITISSÍMO DESSE FILME...UMA MULHER DE FATO MT CORAJOSA E DIGNA DE ELOGIOS...O QUE REALMENTE MAIS ME PREOCUPOU FOI VER QUE JÁ NAQUELA ÉPOCA EXISTIA TANTA CORRUPÇÃO E INJUSTIÇAS, HJ PROVAVELMENTE NÃO É DIFERENTE, MAS QUANDO VEMOS ASSIM ESTAMPADO NA CARA É DURO DE ACREDITAR...MAS EM FIM EU COMO CRISTÃ ACREDITO NO DEUS-CRIADOR QUE TUDO PODE E EM BREVE RESOLVERÁ TODAS AS INJUSTIÇAS QUE SOMOS OBRIGADOS A ENGOLIR...

Anónimo disse...

Clint Eastwood está de parabéns pelo filme, e Angelina Jolie fez uma interpretação digna de uma diva de cinema. A história me fez refletir muito sobre o papel dos profissionais de saúde, especialmente as enfermeiras da época, talvez por eu ser enfermeira. Fiquei envergonhada da posição de poder e da forma como humilhavam aquelas mulheres que estavam no Hospital Psiquiátrico. Fica muito claro que a sociedade precisa acompanhar de perto a atuação do poder público em todas as esferas para evitar que atrocidades como as que aconteceram a Christine Collins não aconteçam. Há uma grande diferença entre fazer vigilância sobre o serviço público e sensacionalizar o descaso e a humilhação a que muitos cidadãos são expostos nestes locais, e é este o ponto que devemos encontrar.

Talita (Piracicaba) disse...

Assisti este filme ontem e fiquei impressionada com a história, traumatizada com a forma que aquele assassino matava as crianças. Essa mulher sofreu muito, principalmente no hospital psiquiátrico. Mas que nem o pastor fala no filme: " Deus age de forma estranha", ou aquele velho ditado, Deus escreve certo por linhas tortas. Essa história deve nos servir de exemplo para que nunca desistamos de lutar pela justiça, como fez Christine, mesmo que haja muito sofrimento, pois no final existe sempre um motivo.

Anónimo disse...

acabei de ver o filme ,como muitos que assistiram , estou impressionada e ao mesmo tempo traumatizada .A vida corajosa de um mulher que acredita na esperança , uma historia triste porem termina com uma dor e uma forte esperança , uma mulher que sofreu muito mais nunca desistiu pelo contrario insistiu provando que o que ela queria era o filho dela de volta assim mesmo a arrogância da policia ter interferido ilegalmente ela consegue provar que o menino que voltou pra casa dela não é seu filho, luta por seus direitos e apesar da dor que passa , não perde total controle , mostra coragem. Fiquei totalmente impressionada no forte sentimento em que o assassino matava as crianças e prefiro nem imaginar que esse tipo de pessoa existiu e cometeu todos essas mortes . E assim por tudo que aconteceu com Chistine Collins uma comovente historia provou um objetivo , nunca desistiremos do que sentimos pois sabemos que um dia foi real , e se acredita que possa sentir ainda tenha esperança .